Mas como assim você não toma sol?

Engraçado né, parece que tem coisas que eu já falei tantas vezes que sei lá, todo mundo já sabe. Aí eu comentei en passant no post do Génifique que não tomava sol e várias meninas perguntaram… mas como assim???

Hahaha eu sei que parece meio chocante mas na verdade é mais uma consequência do meu “estilo de vida” do que algum tipo de ato rebelde. E nem é nada demais… Momento depoimento:

Tudo começou pelo rosto, porque em 2000 voltei de férias na Bahia com o rosto toodo cheio de manchas brancas. Aí o dermatologista falou que eu descascava em blocos e eu pensei “que máximo ser um dálmata, acho que não vou mais tomar sol no rosto”. Nessa época a vida ainda era mansa e tal e eu viajava, tomava sol, passava bastante protetor no rosto e tal mas ainda tinha um certo bronzeado. Só que aí eu comecei a trabalhar e trabalhar e trabalhar e já faz um bom tempo (uns 4 anos) que eu trabalho quase todos os finais de semana – ou seja passei a viajar quase nunca, e nesse processo eu virei uma pessoa branca, branca.

Aí tem 2 coisas:

1. Paralelamente ao processo “estilo de vida” de pouco contato com o sol eu aprendi que o mesmo é muito responsável por deixar as peles envelhecidas, cheias de rugas, manchas e flacidez. Isso é fato (além de uma pitada de genética), cada um faz o que quer sabendo disso e eu resolvi querer ser igual a Cate Blanchett quando crescer então, hoje, digo que não tomar sol é uma opção que faço conscientemente.

2. Uma vez que você está branca é muito difícil tomar aquele solzinho no sábado, por 3 horas, e ficar bronzeada. Eu fico vermelha. Hoje preciso de uns bons 7 dias tomando sol com cautela – protetor, horas certas etc etc – pra pegar uma cor. E CADÊ os 7 dias de férias pra fazer isso? Pois então.

Dá pra entender que a soma de 1 + 2 = para mim não faz nenhum sentido tomar sol… Porque não compensa né, prefiro continuar branca do que ser uma tostada tentativa de bronze mal sucedida, coisa que além de não funcionar esteticamente vai acelerar o processo de envelhecimento da minha pele.

IMPORTANTE: eu não sou radical, consigo conviver em harmonia com pessoas que tomam sol (oi pai) e não sou uma reclusa que só fica na sombra inteira de burka, eu uso biquíni (hahaha) e fico no sol se estou numa viagem, mas passo protetor e não torro, sabem como é. Em SP uso protetor no rosto todo dia (manipulado pela dermatologista Carla Vidal) mas também vou de casa pro carro pra redação então não fico tão exposta.

E mais, não to tentando convencer ninguém a ser como eu, só to fazendo um momento “Oi diário” porque o negócio de eu não tomar sol deixou algumas pessoas curiosas! Mas realmente acho que uma parte do que minha pele é boa se deve a isso… o que compensa todos os comentários de “nossa Victoria você parece um bicho de goiaba” ou “tá doente?” que eu tenho que escutar, especialmente no verão!! (Eu sei que sol é importante e vitamina D e tal e coisa mas acho que morar no Brasil é bem diferente de morar na Finlândia – você pega um pingo de sol mesmo que não queira)

E pra terminar esse momento “Oi diário” vou dividir algumas fotos do meu passado negro bronzeado (isso foi um trocadilho tá, pra quem não captou a piadinha, nada contra quem é bronzeada!). Ri demais procurando essas fotos…

Eu também tinha cabelo grande! Que só ficava solto quando tava molhado HAHAHA. Essas fotos são de 2004 & 2005

E aproveitando mais ainda, 2 fotos muito boas que achei na minha mudança

HAHAHAHAHAHA
Eu já contei que era tiete dos maquiadores né? Isso é tipo 2001, eu com o Duda Molinos e com o Celso Kamura no SPFW… Fico feliz por ter conhecido ambos depois profissionalmente e trabalhado com eles ao longo da minha carreira de jornalista de beleza! Ícones e ídolos!