Diretamente dos anos 1970 e 1980, os mullets estão de volta! O corte de cabelo que marcou uma era agora volta repaginado, com mais camadas e, consequentemente, mais leveza. Talvez essa volta tenha a ver com o fato de a tendência dos visuais andróginos – forte naquela época com figuras como David Bowie – estar fazendo um retorno crescente nos últimos tempos, afinal os mullets fogem das definições padrões do que é cabelo feminino e masculino. Fato é que o corte tem sido a escolha de quem quer dar uma injeção de modernidade ao look.

O estilo é marcado principalmente pelas laterais curtas em contraste com a parte de trás comprida, mas tem quem opte por um franjão volumoso e quem prefira passar a tesoura também na parte da frente, deixando o comprimento na nuca brilhar sozinho. As múltiplas camadas e o visual bagunçadinho dos mullets atuais têm a ver com o comeback de outro estilo forte nos anos 80: o shaggy hair, que significa “cabelo desgrenhado” em português.

Além das tesouradas em camadas, também é preciso investir na finalização dos fios para realçar para valer o volume e o corte. Pomadas modeladoras, sprays de volume, mousse e shampoo a seco são ótimas opções para arrasar nessa missão. Vale fazer um teste para entender qual você acha mais prático para o dia a dia, já que essa é a parte mais chatinha do visual – então, quanto mais simples para você, melhor.

Personalidades como a cantora Miley Cyrus e as atrizes Barbie Ferreira, de Euphoria, e Maisie Williams, de Game Of Thrones, já aderiram ao corte, enquanto Rihanna chamou a atenção ao surgir com um aplique que simulava um mullet no último desfile da Savage x Fenty. Separamos outras inspirações lindas na galeria abaixo para quem quer entrar nessa onda e desfilar por aí com esse cabelo cheio de personalidade.

{Fotos: Reprodução Instagram}

Quem me acompanha há mais tempo sabe que eu sempre fui louca por pele glow. Acho que o efeito iluminado molhadinho traz um aspecto de saúde e viço incrível que eleva qualquer make. Apesar de no Brasil muitas pessoas ainda terem propensão a preferir um acabamento mate – já que a maioria tem a pele mista ou oleosa e, por medo de parecer excesso de sebo, faz de tudo para fugir da aparência brilhosa –, parece que a pele iluminada tem caído cada vez mais no gosto das brasileiras justamente pelo brilho trazer a sensação de frescor e de aparência descansada. Sem falar que a pele totalmente opacona pode pesar e muitas mulheres, com o passar dos anos, percebem que esse efeito luminoso realça muito mais a pele e a beleza natural.

Essa tendência, aliás, está forte no mundo todo. A onda agora é associar o glow a bochechas rosadas usando blush cremoso ou líquido, potencializando o efeito viço total. E até um nome surgiu para se referir a esse aspecto fresh + brilho rosado nas bochechas: “dolphin skin”, em referência à pele dos golfinhos. Eu, mesmo antes de saber dessa nomenclatura engraçada, já era fã do look, então posso afirmar agora que sou muito adepta do visual golfinho – risos. É como costumo me maquiar no dia a dia e já mostrei em alguns vídeos meus truques e técnicas – tem esse tutorial aqui com dicas para parecer mais descansada (isso mesmo, a pele glow ajuda super nisso), esse aqui para criar um glow natural com cara de “acabei de sair do spa”, e esse aqui mostrando como eu aplico blush cremoso para compor com a pele luminosa.

Existem mil e uma maneiras de se conquistar essa pele viçosa, combinando vários produtos em diferentes etapas na construção da maquiagem, e a boa notícia é que estão surgindo cada vez mais novidades para facilitar o trabalho de quem quer esse iluminado que parece que vem de dentro. As opções de primers glow e bases iluminadas estão cada vez mais maravilhosas, e detectamos também uma nova categoria que batizamos de híbridos: produtos que fazem as vezes de hidratante, primer e base iluminada, entregando a aparência de pele com viço e frescor de uma vez só. Alguém aí falou em praticidade?

Se você tem pele oleosa e fica aflita só de pensar em sair por aí com a pele golfinho, calma que tem jeito: abrace o viço natural da sua pele e aplique pó apenas na testa, no topo e nas laterais do nariz e no centro do queixo, deixando assim o resto do rosto livre de pó já entrando no clima glow. Leve o pó para retoques pontuais e se joga!

Para quem está com vontade de experimentar o look, separamos opções testadas e aprovadas por mim e pela equipe DDB nas três categorias. Vale dizer que o mercado nacional, apesar da maioria das consumidoras ainda preferir a pele mate, está super evoluindo no mundo dos produtos glow também, ótima notícia!

Híbridos

. Halo Skin Tint – SmashBox (aqui)
. Base Hidratante Moisture Surge – Tinted – Clinique (aqui)
. Hidratante Pure Radiant Tinted – Nars (aqui)
. Hidratante Com Cor Waso – Shiseido (aqui)
. Maestro Glow Nourishing Fusion – Armani Beauty (aqui)
. Base Aqua Hidratante – quem disse, berenice? (aqui)
. Hollywood Flawless Filter – Charlotte Tilbury (aqui)

Primers iluminadores

. Hidratante Iluminador Strobe Cream – MAC (aqui)
. Primer Meteorites Perfecting Pearls – Guerlain (aqui)
. Primer Cellularose Brightening CC Serum – By Terry (aqui)
. Primer Radiance – Nars (aqui)
. Primer Iluminador – Vult (aqui)
. Primer Iluminador Facial Glow – Tracta (aqui)
. First Light Priming Filter – Becca (aqui)
. The Porefessional Pearl Primer – Benefit (aqui)
. Luminous Skin Drops – Care Natural Beauty (aqui)
. Elixir Facial Bt Mermaid – Bruna Tavares (aqui)

Bases iluminadas

. Diorskin Forever Glow – Dior (aqui)
. Base Natural Radiant Longwear – Nars (aqui)
. Base Líquida Synchro Skin Glow Luminizing – Shiseido (aqui)
. Base Líquida TimeWise Acabamento Luminoso – Mary Kay (aqui)
. Base Face and Body – MAC (aqui)
. Base Líquida Niina Secrets Hidra Glow – Eudora (aqui)
. Flawless Lumière Radiance Perfecting – Laura Mercier (aqui)
. Base Soleil Flawless Glow – Tom Ford (aqui)
. Base Vitalumière – Chanel (aqui)
. Base L’Essentiel Natural Glow – Guerlain (aqui)

{Fotos: reprodução Instagram @stellatumakeup / @emmacharlottebangay, @serenawylliemakeup / @taylu_me, @brigittecalegari e @namvo}

Lembra daquela bolsa de água quente que sua avó ou sua mãe provavelmente deixavam ao lado da cama? Talvez você nunca tenha dado muita bola para o item, ou até dava, mas acabou esquecendo da existência com o passar dos anos. Eu me lembro de usar bolsa de água quente quando comecei a ter cólicas, primeiros anos da vida adolescente, mas foi algo que saiu completamente da minha vida e do meu radar.

Até que, navegando no Instagram dia desses, me deparei com um post da minha amiga Luiza Souza, jornalista de beleza e wellness e ex-dupla de trabalho (fomos editoras de beleza da Vogue juntas), ressuscitando a bendita. Intrigada e muitíssimo interessada na volta de um objeto tão nostálgico como ferramenta para o bem-estar, pedi para a Lu escrever para o DDB sobre sua experiência. Aqui está o relato – incorporando a bolsa de água quente em 3,2,1…

“Foi em julho que recebi um convite que me pareceu inegável num ano tão pesado e difícil (para todos) quanto o de 2020: ir passar uma semana na Lapinha. Trata-se de um dos mais antigos e importantes spas médicos do Brasil. Localizado há uma hora de Curitiba, é lá onde tantas pessoas se refugiam para emagrecer, relaxar, desestressar e cuidar da saúde. Meu objetivo era passar sete dias – é o mínimo indicado para sentir os efeitos do tratamento – em contato com a natureza e comigo mesma, descansar, comer bem e dormir bastante (prioridade na vida de mãe, minha filha tinha pouco mais de um ano na época).

Entre as mil coisas legais que fiz por lá (caminhadas ao amanhecer, banho de floresta e muita massagem), um detalhe bem simpático me acompanhou todos os dias e seguiu inclusive na vida pós-Lapinha: o hábito de usar bolsa de água quente como ferramenta de bem-estar. Quem me deu a dica foi uma amiga que vai a Lapinha há mais de 15 anos. “Luiza, peça o chá da noite no quarto e uma bolsa de água quente para você relaxar”. Dito e feito: toda noite, um dos amáveis funcionários me levava chazinho e uma bolsa beeem quente, daquelas antigas que lembram algo que encontraria na casa da minha avó, envolta numa cobertura atoalhada.

Como na Lapinha o wifi é cortado às 22 horas (muito bem-vindo, diga-se de passagem), a essa hora já estava na cama com meu livro e a bolsinha na barriga, ajudando na digestão além de relaxar. Bônus: como estava no meio de uma crise de hérnia de disco (que me acompanha há alguns anos), também usava o calor na lombar, um belo alívio. Simplesmente delicioso.

Curiosa para entender melhor o funcionamento e de onde vêm esses benefícios, fui perguntar para Daniel Boarim, diretor clínico da Lapinha. “A bolsa de água quente produz vasodilatação superficial e vasoconstrição profunda, ou seja, um efeito circulatório que favorece o alívio de uma dor muscular crônica ou de uma cólica, seja ela menstrual ou intestinal. A melhor circulação também é benéfica para a digestão, e o calor focado também tem efeito relaxante”, me explicou Daniel. “Mas é importante ressaltar que ela não é indicada para lesões agudas, como uma queda ou torção, para as quais em geral se aplica gelo”, diz.

Quando voltei a São Paulo, a primeira coisa que fiz foi aposentar a minha bolsa térmica de gel (que vira e mexe furava no micro-ondas) e comprar uma bolsa de borracha, daquelas bem tradicionais – escolhi a da marca Mercur, que tem ranhuras que aumentam a difusão do calor. Passei o inverno da quarentena agarrada à ela… Somei aos usos já mencionados colocar ela nos pés para aquecer e, dica maravilhosa, deixava uns minutinhos na cama antes de deitar, para ficar quentinha, um verdadeiro ninho!

Agora que está ficando mais quente, comecei a usar a almofada térmica da Holistix, feita de algodão orgânico e recheada de ervas – pode ser usada quente ou fria (colocando antes no microondas ou na geladeira) e tem um formato mais alongado que se acopla a diferentes partes do corpo. Ela não esquenta tanto quanto a bolsa de água quente, então é perfeita para usar no verão.

Qualquer que seja sua escolha, fica minha recomendação: valorize a boa, velha, retrô e nostálgica bolsa térmica. Ela pode fazer maravilhas para o seu dia, aliviar dores, ajudar a relaxar e a desconectar – uma ótima pedida para este ano estranho (mas real!) que estamos vivendo.”

Bolsas de água quente:
. Bolsa de Água Quente – Mercur (aqui)
. Capa P/ Bolsa C/ Sementes Bear – Trousseau (aqui)
. Bolsa de água quente com capa de pelinhos – Renner (aqui)
. Bolsa de Água Quente em Silicone (aqui)
. Bolsa Térmica em Gel – Océane (aqui)
. Bolsa Térmica – Termogel (aqui)
. Bolsa Térmica para Cólica – Pantys (aqui)
. Almofada Térmica – Holistix (aqui)

{Fotos: Tatiana Syrikova/ Polina Zimmerman/ Olenka Sergienko – Pexels}

O ácido hialurônico é um ingrediente totalmente global e que traz benefícios para todos os tipos de pele – verdadeiro coringa em qualquer rotina de cuidados. Não é à toa que cada vez mais produtos multitarefas de skincare – e até mesmo maquiagens com tratamento – levam esse ativo na fórmula. Capaz de hidratar, devolver o viço e a firmeza da pele, ele é produzido naturalmente pelo nosso organismo, e por isso é tão universal, se adaptando a todos os tipos de pele. A partir dos 25 anos, sua produção começa a cair, então é uma ótima ideia incluir um produto à base de ácido hialurônico na sua vida.

A sua mágica está em conseguir reter em até mil vezes o seu peso em água, como se fosse uma esponja que suga e retém água na pele, além de “inflar”, dando o efeito plump. Por isso, é um super hidratante, ajuda a manter a elasticidade e a maciez da pele, preenche linhas finas, evita o aparecimento de rugas e fortalece a sustentação da estrutura do rosto como um todo. E por ser algo presente naturalmente na estrutura da pele, não tem como a sua não gostar dele – ou seja: só benefícios para uma aparência mais descansada e uma pele feliz.

Importante dizer que produtos à base de ácido hialurônico podem ter funções diferentes, nem sempre todas as citadas acima – isso porque entra na equação o peso das moléculas de ácido hialurônico usadas. As mais leves agem nas camadas mais superficiais da pele, as mais pesadas atuam mais profundamente. Hoje em dia, graças a tecnologias mais avançadas e ativos mais modernos, é possível encontrar um mix de pesos em vários produtos.

Outro detalhe interessante é a textura – por já ser um potente hidratante por si só, o ácido hialurônico pode ser encontrado em produtos bem levinhos, de rápida absorção, como serums e gel-cremes. Perfeitos inclusive para quem tem pele oleosa.

Para essa #RotinaDDB, uma seleção de produtos à base de ácido hialurônico testados e aprovados por mim e que você encontra facilmente no Brasil. E no vídeo “A louca do ácido hialurônico”, aqui, mostro as texturas de todos e indico outras opções que você só encontra fora do Brasil.

. Sérum Hidratante Capture Youth Plump Filler – Dior Skin (aqui)
Essa linha foi criada para ser usada como booster em hidratantes, mas também dá para usar sozinho. É um dos séruns de textura mais leve, praticamente uma água. Promete uma pele visivelmente encorpada e flexível e é indicado para peles normais a secas.

. Hidratante Firmador – Sallve (aqui)
Além dos vários pesos moleculares de ácido hialurônico, ele tem ativos específicos para firmar e fazer um interessante efeito tensor – você sente mesmo que dá uma puxadinha imediata na pele. A textura é mais geleca, mas também absorve bem rápido e rende pra caramba. Tem Pantenol, Cogumelo Fu Ling e Extrato de Tara para potencializar a firmeza e a hidratação e é vegano.

. Sérum anti-idade Hyalu B5 Repair – La Roche-Posay (aqui)
Contém vitamina B5, que tem uma interação muito bacana com o ácido hialurônico, ajudando a potencializar a reparação da pele – diminuindo rugas, recuperando volume e elasticidade –, e a água termal que ajuda a acalmar. Hiper levinho e eficiente.

. Sérum Hidratante Ácido Hialurônico – Principia (aqui)
É outro que mescla ácido hialurônico e vitamina B5, para uma hidratação superficial e também profunda.

. Minéral 89 – Vichy (aqui)
É um produto que, desde que lançou, eu nunca mais deixei de usar. Ele, para mim, é um primeiro passo que prepara a pele para encarar o dia, iniciando a hidratação e ajudando a fortalecer as defesas naturais. Funciona como um booster mesmo – com 89% de água termal, além do ácido hialurônico – e pode ser seguido por outros produtos ou usado sozinho, depende da necessidade de hidratação da sua pele.

. Sérum H.A. Intensifier – SkinCeuticals (aqui)
Considero ele um ácido hialurônico “nível avançado”, porque ele tem uma fórmula mais complexa e com ativos que proporcionam benefícios além da hidratação. Muito indicado por dermatologistas, trabalha no contorno do rosto e dá mais densidade para a pele.

. Moisture Surge – Clinique (aqui)
Esse vocês sabem que eu amo de paixão! Ele é um pouco diferente, porque é um gel-creme, e não um serum estilo “aguinha”, e leva também aloe e cafeína. Ele ativa a hidratação da pele por várias horas, e gosto de usar como segunda etapa de hidratação, depois de algum serum mais leve, a pele fica incrível (mas vai muito bem sozinho!!)

. Skindrops Hialu – Care Natural Beauty (aqui)
O que mais me chamou a atenção nele foi o cheiro delicioso, que traz toda uma nuance diferente de experiência sensorial. É o aroma natural dos ativos do produto – lavanda e alecrim, nada de fragrância artificial que pode causar irritação. Também traz na fórmula ativos antioxidantes, é vegano e orgânico.

. Loção Facial Gokujyun Lotion – Hada Labo (aqui)
Esse é um pouco diferente – uma loção, aquele item intermediário, meio híbrido, entre tônico e sérum. Uso no lugar do tônico para finalizar a rotina de limpeza, aplicado com um algodão, mas dá para ser usado na sequência do tônico também como um pré-hidratante, pressionando a pele com as mãos como as asiáticas costumam fazer.

{Lembrando que os posts de #rotinaDDB não são publi, e que é sempre importante consultar um dermatologista}.

{Ilustração: @brunaillustrations para @diadebeaute}.

Instagram do DDB é sempre recheado de inspirações de cabelo, maquiagem, nail arts e afins que postamos diariamente – e eu amo acompanhar a participação de vocês nos comentários e as trocas que temos por lá!

Unha clarinha com nail art delicada, delineados diversos e intensos, pele iluminada e maquiagem no tom do cabelo foram alguns dos destaques de outubro – vale salvar na pastinha de referências para checar sempre que precisar. Confira tudo na galeria abaixo.

{Fotos: @overglowedit, @sarafernandes.arquitetura, @frecklepusnails, @gabrielvaladaoph / @_carolmontandon / @thanya__atelierbraids, @nathaliebillio / @larissamanoela, @mariahlleonard, @juandavidferrazz / @soypaoportela, @kyyci, @kaka.oliveira / @sashaschenkel / @vcastelini, @aniamilczarczyk / @_josielane}

Temos visto mechas coloridas por toda a parte – e estamos amando! Jeito delicioso de brincar com o cabelo e dar um toque de atitude no visual. E a criatividade dos coloristas e das adeptas do cabelo com detalhes coloridos parece estar cada vez mais pulsante, já que não param de surgir estilos inusitados com os mais variados efeitos.

Tem quem aposte em uma cor só e quem goste mesmo é de inventar degradês de tonalidades diversas. As mais discretinhas preferem mechas mais internas no cabelo, que dá para cobrir com a cor natural dependendo da ocasião, e as mais animadas se jogam sem medo em cores vibrantes bem nas mechas frontais. O mais legal é que nenhum cabelo fica idêntico ao outro, as possibilidades são infinitas e a forma como as mechas performam em cada tipo de cabelo também.

Para enfeitar seus fios com cores fantasias, primeiro é preciso descolorir para depois vir com o tonalizante por cima. Se você já é bem loira, sai ganhando, porque pode ir direto para o tonalizante! O processo de descoloração danifica um pouco as mechas escolhidas, por isso o ideal é procurar um profissional para essa etapa, pois ele vai saber qual o volume de água oxigenada usar e o tempo de ação ideal para agredir o mínimo possível os seus fios. Isso principalmente para quem quer tons pastel, porque eles só pigmentam bem nos fios quase platinados.

Mas também não precisa acender um alerta enorme e desistir das mechas bafo! Com os cuidados certos, seus fios seguem saudáveis e felizes. Nesse post aqui a Tuyra, nossa editora de imagem e expert no assunto (são dez anos pintando o cabelo com as mais diversas cores fantasias), compartilhou seus truques para manter os fios saudáveis, brilhantes e fazer a cor durar mais. A cor vai dando uma desbotada com o tempo, mas o processo de tonalização é bem menos complicado e você pode fazer em casa seguindo as instruções da caixinha – a Tuy também ensina a fazer isso.

Já as adeptas das tranças afro têm outro jeitinho para incluir mechas coloridas sem tingir os fios naturais. Para quem não sabe, aquelas tranças enormes e volumosas geralmente são feitas com aplique seguindo a cor natural dos fios, mas muitas aproveitam para variar o tom do cabelo nesse momento – e os apliques coloridos não ficam de fora. Dá para mesclar apliques de cores variadas na mesma trança, dando a impressão de que ela foi feita em um cabelo com mechas. O efeito fica um arraso!

Caprichamos na galeria abaixo para você que está doida para animar os fios com mechas coloridas se inspirar, e aqui nesse board do Pinterest tem mais referências lindíssimas. Enjoy!

{Fotos: reprodução Instagram}

Está em busca de uma nova paleta de sombras? Eu tenho amado as versões “compactas”, como essas todas da foto. Por vários motivos: são pequenas, práticas e super portáteis – e também uma maneira de ter várias sombras em um tamanho de embalagem que, antigamente, viriam 4 ou, no máximo, 5 cores – essas todas têm 6 ou mais, e com variedade de textura mate / acetinada / brilhosa!

É um jeito de ter várias sombras sem precisar investir em um estojo grandão, ótimo tanto para experimentar com cores diferentes do que você está acostumada, mas sem se comprometer com uma paleta enorme. Apesar de que no meu caso, como vocês podem ver pela foto, o amor por tons neutros / quentinhos segue com tudo (mas elas todas vêm em outras opções de cores também).

Adoro todas – listinha de marca / nome / cor está abaixo -, tanto os tons quanto a pigmentação e a durabilidade. Duas que eu ainda não testei, mas estou curiosa, e que seguem esse mesmo formato de paletinha compacta, mas com várias sombras dentro, são as da RK by Kiss (aqui) e as da Mari Saad para a Océane (aqui).

Paletinhas:
. Paleta De Sombras Voyageur Eyeshadow Palette cor Copper – Nars (aqui)
. Paleta De Sombras cor Amber X9 – MAC (aqui)
. Paleta De Sombras Cover Shot cor Ablaze – Smashbox (aqui)
. Cocoa Blend Voyager Eye Palette – Zoeva (aqui)
. Easy Eye Palette – Charlotte Tilbury (aqui)
. Sand Haze Obsessions – Huda Beauty (aqui)

*publi

Feliz em fazer esse review especial, a convite da Carolina Herrera, para comemorar a novíssima linha de maquiagem da marca – além de roupas lindas e perfumes deliciosos, agora a CH tem também batons e pós compactos. No vídeo foquei nos batons, que são bafo – verdadeiros acessórios, não só para os lábios, mas para levar por aí!

Adorei o conceito, as tampas diferentes que você pode customizar (são 10 opções), o sistema de refil e os apetrechos que podem ser agregados ao batom para emperequetar. A gama de cores – são 36, entre Sheer (transparentezinho), Satin (acetinado) e Matte – está linda, com várias opções de vermelho, que é a cor marca registrada da CH, e as fórmulas são super confortáveis e pigmentadas. Estou usando o 310 Carolina Red (Satin), e mostrei também o Sheer 140.

Tem ainda os pós compactos, também no sistema refil, em opções de finalizador / mate ou iluminador, e um pincel retrátil. Só é difícil escolher o case, os 4 são lindos.

Uma linha de maquiagem super vibes, alto astral, como são as roupas, atualmente criadas por Wes Gordon, um jovem estilista super talentoso e querido que está arrasando em suas coleções – ele assumiu o posto recentemente, quando a Sra. Herrera deixou a direção criativa, mas sem deixar de ser a grande figura da marca – sou muito fã dela, uma super power woman chiquérrima e empreendedora!

Wes super se envolveu na criação da linha de make, junto com Carolina A. Herrera – filha da fundadora e responsável por tudo que diz respeito à beleza da marca – e a maquiadora americana Lauren Parsons.

As maquiagens CH já estão à venda no Brasil, na Sephora online e em algumas lojas físicas da Sephora em São Paulo, com preços a partir de R$ 149.

Produtos:
. Batom Carolina Red 310 – Carolina Herrera (aqui)
. Batom Sheer cor 140 – Carolina Herrera (aqui)

{Fotos: Divulgação}