Um dos momentos mais legais do nosso trabalho é interagir com vocês nos comentários do Instagram @diadebeaute. O perfil está sempre recheado com inspirações de cabelo, maquiagem e nail art – e é uma delícia saber quais fazem mais sucesso!

Cachos no máximo esplendor, várias makes de bonita com detalhes charmosos, coque esticadinho e francesinha glitter foram alguns dos destaques de fevereiro – vale salvar na pastinha de referências para checar sempre que precisar. Confira tudo na galeria abaixo.

{Fotos: reprodução Instagram @vicceridono / @rodrigues_ricardo, @andresoyuela / @jezzhill / @hairbywadelee / @_rubyking / @jesicalevy, @micka_makeup / @jumueller, @letiziamarcondes, @taisdeverdade / @camila_anac /  @welidaq, @marcelaberlinck / @dani.doring, @blogstarving, @fiorellamattheis, @lucyhale / @andrewfitzsimons /  @tytalleyofficial @iamhudsontaylor /  @kylekagamida e @kaka.oliveira /  @andressa_rochaa}

A cerimônia do Globo de Ouro foi diferente este ano. Por causa da pandemia, as apresentadoras Amy Poehler e Tina Fey estavam em locais diferentes – a primeira no Beverly Hilton Hotel, local tradicional da cerimônia, e a segunda em Nova York, na sede da emissora NBC – e apenas algumas celebridades compareceram presencialmente para anunciar os vencedores. Os outros convidados interagiram virtualmente com a cerimônia, mas isso não impediu que fossemos brindados com maquiagens e penteados deslumbrantes das celebridades.

O olho colorido de Lily Collins, com sombra roxa na pálpebra superior e verde azulado na inferior, estava lindo – amamos a combinação de tons, ao mesmo tempo inusitada e chique. Outra que arrasou foi Emma Corrin – a inspiração foi Pierrot, com um make meio anos 60 com bastante rímel e uma gota abaixo dos olhos.

Também rolou muita make “de bonita”, com esfumados, delineados discretos e cílios alongados sem muito volume, e os lábios variaram entre gloss, batom vermelho, nude e rosa.

Já os cabelos variaram bastante, com tranças criativas, risca lateral, coques e rabos bem puxados para trás, fios soltos com emoção e cachos bem definidos. Adoramos o preso da Julia Garner com cachos mais definidos e um leve topetinho.

Confira os destaques na galeria abaixo e comente quais foram seus favoritos!

{Fotos: reprodução Instagram}

Notícia triste para as amantes de maquiagem: a Becca, conhecida por seus iluminadores bafo, vai encerrar suas operações em setembro. Tudo parte do plano de recuperação pós-Covid da Estée Lauder, dona da marca, que ano passado sentiu o impacto da pandemia nos seus negócios. O negócio é estocar seus favoritos até lá. (Veja o comunicado completo aqui no Instagram da marca).

Por outro lado, a Estée Lauder anunciou simultaneamente a compra do controle da Deciem, empresa que tem a The Ordinary entre suas marcas e que faturou bastante no último ano, por 1 bilhão de dólares. Ela já tinha 26% de participação no grupo e agora vai para 76%, com o compromisso de adquirir o resto das ações em até 3 anos. (Saiba mais aqui)

A Dynamo Beauty, investidora da Sallve, vai lançar um fundo de 400 milhões de dólares com o objetivo de criar uma “L’Oréal 2.0” – uma holding de marcas de cosméticos com um portfólio tão grande quanto o da empresa francesa. (Leia a notícia completa aqui)

Pioneiro na utilização de eco álcool em cosméticos no Brasil, o Grupo Boticário anunciou que 100% da sua perfumaria passará a ser produzida com essa versão mais sustentável de álcool até o fim de 2021. Esse processo mais tecnológico reduz em até 30% das emissões de pegada de carbono. (Mais detalhes aqui). O grupo também anunciou que irá se unir a outras empresas, ao Instituto Butantan e ao Estado de São Paulo para construir uma fábrica de produção de IFA, base da vacina da covid-19 (leia aqui).

A LVMH anunciou que todas as suas marcas de incubadoras de 2021 são de propriedade de pessoas não-brancas. Elas fazem parte do programa “Accelerate” e devem começar a ser vendidas na Sephora até o fim de maio. (Leia mais aqui, em inglês)

{Foto: reprodução Instagram @beccacosmeticsbr}

Não sei dizer quando foi que me apeguei ao coque baixo esticadinho – normalmente com risca no meio, mas com variações de risca lateral ou todo para trás. Acho que uso desde sempre esse “penteado”, entre aspas porque é tão não elaborado que talvez nem mereça ser chamado assim, por ser o casamento perfeito entre praticidade e statement. Lembro de ouvir na adolescência “mas você vai para a festa com esse coquinho de touca?” e eu ia mesmo, com um brinco enorme, bem feliz.

O caso é que, seja por conveniência (nada pode ser mais prático que ele, especialmente em bad hair days), seja por estética (amo o visual polido minimalista que faz o cabelo “sumir” para jogar luz em outros pontos da produção, make, acessórios, roupa), ele é meu aliado em muitos momentos do dia a dia, mas especialmente em ocasiões noturnas, festivas, casamentos… Detalhe importante.

Como sempre aparecia assim “internet afora”, recebia alguns pedidos aqui e ali para ensinar o tal penteado (o que achava engraçado já que não tem muito segredo). O ano era 2013 quando publiquei o primeiro tutorial de coque baixo esticadinho no YouTube (aqui). Naquela época, muita gente não entendeu a proposta do look – a gente vivia um boom dos penteados laterais, com tranças e babyliss brilhando no volume de um lado só, praticamente dominando os tapetes vermelhos. Já os coques da época quase sempre vinham com um voluminho texturizado no topo ou uma franja jogada na testa.

Lá se vão oito anos, eu claro que segui firme e forte adepta do visual – incorporando também a opção molhada com gel, que fica ainda mais esticado e sumido -, mas finalmente não estou mais sozinha. Faz um tempo que o coquinho entrou no rol de penteados coringa no red carpet, e agora tenho reparado por todos os lados do Instagram que ele também virou hit na vida real!

Reforçando a praticidade, o passo a passo consiste em: penteia bem os fios, escolhe a risca e faz ela bem certinha (meio, lado ou todo para trás), prende num rabo baixo, dá uma torcidinha no resto do cabelo para formar o coque e pronto!

A versão com bastante gel, que ensinei nesse tutorial aqui recentemente, fica ainda mais baixinho e firme. Eu adoro! É meu look oficial de festas e casamentos na praia, porque tem tudo a ver com o mood e fica impecável até o fim do evento.

Para inspirar todo mundo a se jogar no estilo, preparamos uma galeria de referências lindíssimas a seguir:

{Fotos: reprodução Instagram}

Vocês vêm acompanhando meu processo de redescobrir os cachos, e semana passada rolou um momento super uau (MUITO pra mim, e percebi que para vocês também considerando a repercussão dos Stories e da foto hehe!). Fui retocar a tintura com o Ricardo Rodrigues e ele aproveitou para me mostrar algumas dicas de finalização que já tinha me explicado, mas nunca colocamos em prática – deu nisso! Pontos interessantes:

. Essa franja (muito inédito para mim ter uma franja) foi 100% não intencional – ela, na verdade, é cabelo novo crescendo depois de ter caído muuuito ano passado (foi bem comum pra muita gente ter queda na pandemia por causa de estresse)

. Ele passou muito mais quantidade de produto do que uso normalmente, faz uma bela diferença

. Os produtos foram: creme Twisted Curl Magnifier (aqui) e Dark Oil (aqui), ambos da Sebastian Pro. Mistura 3 pumps do creme com 1 pump do óleo e aplica – ele fez três vezes para cobrir o cabelo todo, sempre pegando mechas (não precisa ser tão fina a mecha, é uma “semi fitagem”)

. Lembre-se de aplicar produto também na raiz do cabelo, pra definir os cachos e controlar o frizz.

. Usando a parte de trás de um pente ele abaixou a raiz e foi fazendo o shape que queria que o cabelo secasse e em seguida veio com um secador com difusor, de cima para baixo, até secar tudo. Essa direção do jato é para não deixar o cabelo tãão volumoso, já que o meu já é bastante por conta própria.

. Como algumas mechas ainda tem a ponta meio lisa / indefinida, ele usou um babyliss bem fino para reforçar o cacho nessas partes.

É isso! Agora preciso aprender a fazer sozinha hahaha. Se tiverem mais dicas de produtos para definir cachos, sempre aceito.

Tenho pensado muito nesse conceito do mínimo de produtos de maquiagem que eu preciso para me sentir bem. Nos tempos atuais, sinto que muita gente está usando menos make, e eu já vinha há algum tempo dispensando um lápis aqui, um rímel ali… O resultado foi essa maquiagem que mais tenho usado (e aparecido nas minhas fotos, Stories etc).

Claro que não acho que ninguém PRECISA usar algo de maquiagem, mas eu particularmente sempre me senti bem depois de usar alguns produtos – me sinto melhor e fico mais felizinha, então foi interessante esse exercício de ver o que é o mínimo do mínimo para me animar no dia a dia. Lógico que tem vezes que estou mais empolgada, aí passo um pouco de iluminador no cantinho, faço o tracinho invisível com lápis marrom… Tudo depende do meu mood!

Mas corretivo em áreas específicas, sobrancelhas bem escovada para cima, blush cremoso nas bochechas e no olho, curvex (às vezes) e lápis rosinha na boca + lip balm ou gloss viraram o meu combo basicão de sempre. Bem pouca coisa, mas já dá a “geral” que eu gosto! No vídeo mostro melhor como faço – e a diferença-, em 3 minutinhos estou pronta, é mara!

Proponho que vocês façam esse exercício também, porque sei que esse mínimo do mínimo varia de pessoa pra pessoa – depois me contem!

Produtos usados:
. Protetor Anthelios HydrAOX – La Roche-Posay (aqui)
. Corretivo Vanish cor Silk – Hourglass (aqui)
. Pincel Setting Brush – Real Techniques (aqui)
. Corretivo Secret Camouflage SC-2 – Laura Mercier (aqui)
. Pincel Secret Camouflage – Laura Mercier (aqui)
. Studio Fix cor NC 30 – MAC (aqui)
. Escova de dente – Officine Universelle Buly
. Blush Pillow Talk Lip & Cheek Glow cor Colour of Passion – Charlotte Tilbury (aqui)
. Pincel para blush – Real Techniques (aqui)
. Lápis Everlasting lip pencil 417 – Kiko
. BT Gloss cor Aline – Linha Bruna Tavares (aqui)

Usando:
Piercings Victoria Sayeg, Pinli e Marina Vicintin
Anel Victoria Sayeg
Colar Lil Milano
Top Framed no Gallerist

*parceria

Sabe aquela sensação boa de ter encontrado o protetor solar que é o par perfeito para sua pele? Foi o que aconteceu comigo quando testei o Anthelios HydrAOX da La Roche-Posay pela primeira vez, no fim de 2019. Usei a vida toda os protetores da linha Anthelios (que aliás é a mais recomendada por dermatologistas no Brasil), e o HydrAOX é como se fosse a nova geração, um protetor “do futuro” — virou meu fiel escudeiro. Nesse post vou mergulhar um pouco na tecnologia que faz ele ser tão incrível, e falar da minha experiência com o produto.

Para começar, sua textura é fluida e levíssima, o cheirinho é gostoso e depois de aplicado não fica com aquele toque meio melado de protetor — ou seja, sensorial perfeito. O acabamento dele é invisível, a pele fica com aspecto saudável, com viço, como se tivesse passado um primer, mas ao mesmo tempo sequinha — ou seja, perfeito para usar na vida real, e não só na praia / piscina, além de funcionar super bem por baixo da maquiagem. E diria que, mais importante de tudo, ele é MUITO power na proteção, com FPS 60, (protege contra os raios UVB, que queimam) e um altíssimo PPD 46 (protege contra os raios UVA, que envelhecem a pele), além de vários outros benefícios. 

Proteger a pele diariamente é um dos maiores segredos de beleza de todo mundo que mantém  uma bela cútis com o passar dos anos, já que o sol é responsável pelo foto envelhecimento, resultando em manchas, perda de firmeza e rugas mais acentuadas. Outro vilão da saúde e da vitalidade da pele são os radicais livres, que oxidam as células fazendo com que elas envelheçam mais rápido, e é esse o outro grande trunfo do Anthelios HydrAOX — o “AOX” do nome faz referência a sua ação antioxidante, que inibe e previne a produção dos radicais livres. Proteção + antioxidante, um combo maravilhoso para um protetor solar. Ele também tem alta concentração da Água Termal La Roche-Posay (vocês sabem que eu sou fã número 1 dessa água e de seus muitos benefícios), sendo perfeito também para peles sensíveis, é ultra resistente à água e ao suor e não irrita ou deixa os olhos ardendo.

Tudo isso é possível graças a tecnologia Netlock, resultado de três anos de pesquisa do Grupo L’Óreal, do qual a La Roche-Posay faz parte. Patenteada e considerada revolucionária, ela permite que os filtros UV e a vitamina E presentes na fórmula sejam encapsulados em polímeros semicristalinos inteligentes, que deixam a fase aquosa da emulsão, a Água Termal, em contato direto com a pele — isso explica a textura ultraleve e o sensorial especial da fórmula. Essas microestruturas formam um filme que se adapta à pele de maneira resistente e homogênea, garantindo a alta proteção e durabilidade.

Desde que conheci o Anthelios HydrAOX recomendei para muitas pessoas, tanto digitalmente através dos conteúdos que fizemos em parceria, quanto pessoalmente para amigas que pedem dicas de protetores, e o feedback foi excelente. Se você está em busca de um, vale a pena testar! E lembre-se de sempre consultar um dermatologista.

Para terminar, atenção que tem uma super promoção que vai rolar apenas hoje, dia 10/02, na Beleza na Web: de R$ 89,90 ele estará por R$ 59,90 (aqui)!

PS: se você ama cuidar da pele, vale a pena de cadastrar no @dermaclub, clube de vantagens com descontos o ano todo e compras revertidas em pontos que podem ser trocados por produtos. É só se inscrever no site aqui. Sigam também o perfil da @larocheposaybr para acompanhar as novidades.

Nunca vou me esquecer de quando anunciei minha colaboração com a MAC, para lançar o batom MACxVicCeridono, quatro anos atrás, e Bruna Tavares, que na época já era enorme nas redes sociais e já estava a todo vapor dando o que falar com sua própria marca de maquiagem, fez um post hiper querido compartilhando a notícia no Instagram. Entre outros elogios lindos e que me deixaram muito lisonjeada, disse que eu era a inspiração para ela ter seguido na carreira de blogger / jornalista de beleza e me apoiou de maneira super generosa, assim como quando o batom foi lançado alguns meses depois. 

Essa generosidade de Bruna é uma de suas (muitas) grandes qualidades, como pessoa e profissional, e essa minha história é só um pequeno exemplo disso. A dedicação com que toca seu trabalho, a maneira como abraça as oportunidades, sua autenticidade e a relação que tem com seu público são algumas das características que explicam o imenso sucesso que ela alcançou em sua carreira e o impacto que suas marcas Pausa para Feminices e Linha Bruna Tavares tiveram no mercado de maquiagem nacional — tudo muitíssimo merecido. E é só o começo: além de inovações em fórmulas e produtos e do seu próprio e-commerce que lança esse semestre, ela acaba de anunciar o investimento na Lunnare, marca de aromaterapia de Karla Lopes que vai ajudar a desenvolver e potencializar (contamos todos os detalhes aqui). 

É por essas e outras que não tinha pessoa melhor para estar no post de estreia da seção DDBusiness, onde vamos abordar o mercado da beleza com um viés de negócios, para complementar o conteúdo de dicas, produtos e tendências que vocês sempre encontraram aqui no Dia de Beauté. A trajetória da Bruna é pura inspiração e seu poder de influência é inegável — ela chegou de mansinho e virou player seríssima nessa arena de gigantes, com feitos dignos de deixar executivos calejados boquiabertos, como sua performance quando entrou no rol de marcas à venda em algumas das lojas físicas da Sephora, batendo em 6 vezes a meta de vendas das primeiras semanas. “Entramos com algumas outras marcas como parte de um grande movimento da Sephora, e eu era uma aposta para eles, tinha um display pequeno. Mas batemos a meta, quebramos alguns recordes de venda, foi um grande antes e depois para a BT. Muita gente começou a respeitar a marca, reconhecer mesmo, confiar no produto”, conta Bruna. 

Formada em jornalismo e apaixonada por beleza e maquiagem, ela começou o blog Pausa para Feminices em 2009 como um portfólio. “Tinha uma filha pequena e nunca deixei oportunidade passar, fiz vários frilas, trabalhei na Uol e na Editora Abril. Sempre fui atenta, sou de falar pouco e observar muito, aos poucos comecei a ser notada.” Em 2011, num movimento pioneiro no Brasil, a Tracta fez sua primeira colaboração com blogueiras e Bruna foi uma das convidadas — última a ser chamada e a menor do grupo na época, ela abraçou a oportunidade com um mix de intuição e estratégia que parece reger tudo que faz até hoje. “Queria uma cor diferente, um tom de salmão bem específico, instiguei as químicas, ficaram três ali fazendo a mistura, eu não ficava satisfeita… Quando acabou, todo mundo experimentou e ficou super empolgado, eu senti que tinha feito algo legal”, lembra. Aí entrou a estratégia: ela pediu para a Tracta ir reinvestindo sua comissão para produzir mais batons, que começou a usar como cartão de visita e divulgação — isso, somado aos posts em suas próprias redes, fez com que seu batom fosse o mais vendido da collab, e rendeu o convite para criar uma coleção maior. 

“Muitas vezes achamos que a zona de conforto é o que as pessoas querem, mas com meu público sempre foi assim, querem coisas diferentes. São apaixonadas por maquiagem e eu quero trazer produtos e cores que elas não têm ainda.” Essa sensibilidade para enxergar além do óbvio e a vontade de inovar cada vez mais são o motor que fez com que sua marca deslanchasse. Da pequena coleção passou para uma linha inteira Pausa para Feminices (que agora está aos poucos sendo desativada) e, em 2016, veio a linha Bruna Tavares. Levar do digital para o varejo foi um desafio, já que não haviam marcas de outras blogueiras sendo vendidas em lojas físicas na época. Para ajudar no processo de aceitação, o plano foi lançar como Bruna Tavares by Tracta, usando o nome da marca parceira, e sua consolidada presença e seu relacionamento com os varejistas, como uma espécie de “passaporte” — era para ficar assim por um ano, mas em seis meses BT já tinha encontrado seu lugar em lojas como Renner e Riachuelo e pode andar sozinha.

A parceria com a Tracta se solidificou à medida em que as marcas de Bruna foram crescendo, e hoje Flavia Rocha, sócia diretora da Farmaervas, é investidora do negócio — uma dinâmica interessante considerando que a Farmaervas é uma das mais antigas e tradicionais empresas do mercado de beleza no Brasil, e Bruna é uma das mais novas e inovadoras. “Eu causo demais”, diz ela rindo. “Sempre ouvi ‘mas o mercado trabalha assim’ quando queria fazer as coisas de um jeito diferente, ou lançar um produto inusitado. Tivemos que romper muitas barreiras, muitas empresas não queriam trabalhar com a gente, mas aprendi a falar com jeitinho para conseguir chegar no que queremos.”

Hoje ela conta com orgulho que tem embalagens feitas em moldes exclusivos para seus pós, blushes e iluminadores prensados, que foram relançados recentemente — uma grande conquista no mercado nacional. “Uma empresa enorme nos procurou oferecendo isso, foi um momento muito ‘uau’, mostrou que estamos no caminho certo”. De fato, o patamar que a BT alcançou traz vantagens: depois de postar no Stories que não conseguia lançar seu cleansing balm, que está com a fórmula aprovada há tempos, por não existir no mercado embalagem de 100g, o fornecedor correu para resolver o problema (deve ser lançado em breve). Sua bruma fixadora BT Fix também ganhou embalagem inédita, desenvolvida para ela e agora disponível para outras marcas que quiserem. Extremamente generosa, Bruna tem consciência de seu papel e influência no mercado e quer ver todo mundo evoluir: “Poder estimular a industria nacional é algo muito importante para mim, e mesmo quando for para fora, quero manter o ‘Made in Brasil’”, diz, já dando pistas do plano de expansão internacional de sua marca.

Sempre que tem um novo projeto — coleção, produto — ela precisa apresentar para os investidores e vender a ideia. “A Flavia fala que eu tenho toque de Midas, às vezes eles ficam meio assim com o projeto, mas confiam.” Um dos que valeram a aposta foi o BT Velvet, sombra líquida mate sem similares no Brasil que é fenômeno de vendas. “Estava todo mundo fazendo sombra líquida com brilho e eu quis fazer diferente. Pensei: ‘Se nosso batom líquido mate bombou, por que não uma sombra líquida mate?’”, lembra. “Quis fazer diferente, acharam loucura, mas eu já usava meus batons como sombra, senti que faltava algo assim no mercado e resolvi lançar.” 

Além do jeitinho para falar e convencer, Bruna é resiliente, insistente e foi aprendendo muito sobre fórmulas e ingredientes ao longo do processo, o que ajuda bastante na hora de criar novos produtos. Intrigada por exemplo com a textura e acabamento dos batons líquidos nacionais, que deixava muito a desejar aos gringos, ela começou a fuçar rótulos e pesquisar até encontrar qual era o ingrediente responsável por esse diferencial – achou, fez que fez para trazer para o Brasil e incluiu na fórmula dos seus batons. Desde então ela já “estreou” diversas matérias primas no mercado nacional: “Já fiz isso muito, e é sempre um drama”, conta rindo. “Além de encarecer o produto, por ser importado, dificulta todo o processo… Mas é o jeito né? Às vezes penso ‘esse ano não quero inovar, vou fazer coisas mais simples’, mas aí começo a ter ideias…” 

Ela admite que a pressão cresceu junto com o sucesso da marca, e que o público está cada vez mais exigente, “mas eu e meu time também estamos!”. Um grande highlight foi ganhar, há dois anos, seu próprio laboratório dentro da Farmaervas. “Ter o BT Lab faz toda a diferença, tenho equipe própria, dá para pirar mais. Muita coisa não vai para frente, mas pode servir para outros projetos, tudo é aprendizado. E hoje estamos num outro patamar de maquinário e acesso a matérias-primas”, conta. Sua atual química-chefe é uma brasileira que foi “roubada” de uma das marcas de skincare mais importantes do Japão, “queria alguém para fazer a diferença mesmo, especialmente na parte de skincare, que estamos evoluindo bastante”, conta Bruna. 

Todas essas muitas etapas de sua trajetória são compartilhadas com o público. “É muito importante para mim mostrar para as pessoas que me acompanham a importância de cada etapa e de cada conquista.” Entre os grandes feitos da BT ela cita a (ótima) base BT Skin, lançada em 30 cores e um marco no mercado nacional, e o batom Hermione, um pioneiro nos tons acinzentados no Brasil na época. “Quero trazer coisas que surpreendam, e quando é algo que já existe, tem que ter algum diferencial de tratamento, como o gloss BT Jelly.” Entre os próximos lançamentos estão o BT Eye Gloss, que acabou de chegar nas lojas, os blushes cintilantes (muito pedidos pelas seguidoras) e o BT Plush, um híbrido de batom e blush com textura aveludada que ela acredita que vai ter o mesmo impacto da BT Velvet. Apesar de amar dar spoilers das novidades, hoje ela tem que segurar, mas me contou em primeira mão que outro lançamento para o qual está animadíssima é o BT Mirror, um iluminador com efeito foil que com certeza vai dar o que falar (já quero!!). Sem falsa modéstia, ela conclui: “A marca hoje tem esse poder, de começar novos momentos”. 

Outro projeto que tem consumido sua atenção, além do investimento na Lunnare, é o lançamento do e-commerce da linha Bruna Tavares. “Chegou a hora de ter nossa própria plataforma, queremos criar uma experiência incrível para o consumidor, com uma enciclopédia sobre cada produto, cupons, brindes…”, conta. “Está dando muito trabalho, mas espero colocar no ar nos próximos meses.”

Com uma equipe de mais de 300 pessoas – entre o time fixo e a estrutura que tem na Farmaervas -, que inclui também seu marido, que é diretor executivo e financeiro, e um volume de vendas de 200 mil produtos por mês, com faturamento anual na casa dos 9 dígitos, com certeza Bruna e sua BT ainda vão dar muito o que falar, e nós vamos amar acompanhar cada etapa.

{Fotos: reprodução Bruna Tavares, Pausa para Feminices, Karen Bachini, Instagram @brunatavares, @linhabrunatavares, @viwcardosomakeup, @cacauguillen, @ve.brito, @khauanapacheco, @angelic4silva, @kaleogradilone / @cehmachado, @nahcardoso, @k.arlalopes, @lunnare.coo e Lara Dias}