A segunda gravidez é, naturalmente, diferente da primeira… Temos muito mais tempo para curtir a barriga na primeira, e também para descansar quando bate aquela exaustão típica da gravidez, ou quando o enjoo e o mal-estar dos três primeiros meses ataca. Na segunda, não estamos mais em apenas duas: ao mesmo tempo, tenho uma criança de 2 anos para cuidar e dar atenção. Para ser sincera, tem vários momentos do dia que simplesmente esqueço que estou grávida. Sim, está sendo chocante para mim a diferença de “curtir” a barriga que tive na gestação da Stella, minha primeira filha.

Com a rotina atribulada em casa, os cuidados com a pequena (que muitas vezes rolam na madrugada) e as angústias da pandemia, sobra pouco tempo para curtir o barrigão, falar e cantar para o feto que está crescendo dentro de mim. Yes, a culpa do segundo filho começa muito antes de ele chegar ao mundo! De qualquer forma, tento maneirar nesse sentimento e me respeitar, cuidar da saúde, que hoje em dia é mais que prioridade, e deixar ela chegar para só então ver mesmo o que é ser mãe de duas!

Como cuido do meu corpo

Diferentemente da primeira gravidez, em que os três primeiros meses foram tensos e de repouso, correu tudo perfeitamente bem no começo dessa segunda. Estávamos numa fase menos restrita da pandemia, então consegui frequentar a academia, a Les Cinq (claro, me cuidando, sempre com máscara, distanciamento e álcool em gel). Continuei normalmente as minhas divertidíssimas aulas de pop dance – highlight das minhas semanas, momento em que colocava toda a energia para fora, esquecia dos problemas da vida e me concentrava em acertar os passos dos hits de Lady Gaga e Anitta. Ia para a aula com meu Apple Watch para ficar de olho na frequência cardíaca e lembrar de dar sempre umas paradas (ainda mais malhando de máscara, não é fácil!). Respirava, tomava água e evitava pulos e saltos muito exagerados.

Também segui com a musculação, que há algum tempo eu andava fazendo super empenhada. Assim que tive o teste positivo, avisei ao coordenador da academia que acompanhava meus treinos e ele passou a ficar ainda mais perto, trocando as séries a cada três semanas conforme a gestação ia evoluindo. Isso tudo, claro, com o aval do meu ginecologista e obstetra, Fernando Barboza de Lima, a quem não canso de rasgar elogios pelo apoio e disponibilidade.

Outra parte deliciosa da Les Cinq são as máquinas de alongamento super high-tech. Passava alguns bons minutos me alongando nelas, o que gerava um bem-estar e protegia minha coluna, que tende a sofrer a partir do meio da gestação. Quando as coisas voltaram a ficar mais restritas este ano e as academias fecharam, tratei de garantir um plano de yoga no My Yoga para acompanhar algumas aulas on-line via Zoom de casa. Também faço caminhadas frequentes ao ar livre.

Mesmo com essa rotininha de exercícios, tenho engordado mais quilos e mais rápido que na primeira gestação. Com toda a ansiedade, passando aflições (quem aí está realmente bem?) e vivendo tanto tempo em casa, tenho descontado mais na comida, pedindo delivery e comendo mais doce. Em fevereiro, mês que acabei passando um bom tempo fora de São Paulo, engordei o dobro da média que vinha ganhando. Estou tentando dar uma brecada, não tanto pela estética, mas muito pela saúde. Mas, por outro lado, tento não me culpar e relaxar em alguns momentos…

A drenagem também se manteve na rotina gestante. Fiz muita Miracle Touch, da Renata França, que agora tem uma técnica específica para gestantes, e outras sessões com a Camila Parra, fisioterapeuta que vem em casa e tem uma maca própria para nós grávidas podermos deitar de barriga para baixo – é o céu!!

Atenção especial à pele

Assim como na primeira gestação, sigo aplicando cremes no corpo com generosidade. Tenho usado hidratante, óleo no banho e creme antiestrias da Isdin na barriga, flancos, bumbum e seios… Já estou acabando o pote e devo ter que repor! À noite, por conta do cansaço nas pernas, faço um mix de aplicação de cremes com automassagem, do tornozelo à coxa.

Primeiro passo Cedraflon, um hidratante de efeito refrescância imediata à base de cèdrat, um fruto encontrado na Córsega que é antioxidante; fica uma sensação geladinha deliciosa. Depois, passo o óleo de gengibre branco da Sisley, que tem ação anti-fadiga, além de remodelar, tonificar e hidratar a pele. É um investimento que vale a pena: o produto entrega muito e a fórmula e o aroma são incríveis. Por último, muito creme nos pés e calcanhares para dormir tranquila – adoro o Skin Food, da Weleda, que tem camomila e calêndula como ativos principais para acalmar a pele e os sentidos.

. Escova Seca – Holistix (aqui)
. Creme antiestrias – Isdin (aqui)
. Óleo para Pernas Huile Affinante au Gingembre Blanc – Sisley (aqui)
. Creme Cedraflon (aqui)
. Loção Hidratante Classic – Giovanna Baby (aqui)
. Hidratante Skin Food – Weleda (aqui)

Minha rotina de skincare facial

Em relação ao rosto, quando soube que estava grávida mandei mensagem para a Luli Palermo, minha dermatologista, e falei tudo o que vinha passando. Ela me respondeu com o que eu podia seguir usando ou não. Aliás, sempre que tenho alguma dúvida de produto, se pode ou não, pergunto a ela! Apesar da Luli ter liberado vitamina C, ácido glicólico e um sérum com ácido hialurônico e vitamina B5 em dias alternados, tenho feito uma rotina mais minimalista, com sérum e creme para os olhos. De dia, é claro, muito foco em proteção solar – novamente, pânico de melasma.

Nos fins de semana, pego um dia para esfoliar a pele e fazer uma máscara. Geralmente leio o rótulo e procuro as mais “limpas”, com menos ingredientes e mais ativos naturais. Aliás, com o boom de clean beauty, a dica é aproveitar as marcas e produtos com essa pegada – eu adoro as da Care Beauty, da Souvie e da Caudalie, que está reformulada e com fórmulas quase 100% naturais.

. Vinoperfect Creme Noturno Antimanchas – Caudalie (aqui)
. Lip Sleeping Mask – Laneige (aqui)
. Gua Sha – Océane (aqui)
. Sérum Vinoperfect – Caudalie (aqui)
. Sérum Anti-Idade Black Rose Olhos – Sisley (aqui)
. Sérum Iluminador Skindrops Glow – Care Natural Beauty (aqui)

Mudanças no corpo e queda de cabelo

Na segunda gravidez, já sei um pouco do que esperar do corpo e organismo pós-parto. Da primeira vez, a barriga ficou flácida de uma maneira tão surreal que me olhava e pensava “nunca vou ter meu corpo de volta!”. Mas ele voltou – com tempo, sem pressa e com ajuda de uma nutróloga, a musa Esthela Conde, além de foco e exercícios físicos. Os seios não são os mesmos dos 20 anos, mas quem sabe penso mais nisso depois…

Amamentei a Stella por quase 8 meses e vi meu cabelo ir de super cheio (hello, hormônios da gravidez) para minguado e com uma queda fortíssima depois do quarto mês de amamentação. Na época, frequentei o consultório da Dra. Ana Carina Junqueira, tricologista fera no assunto. Fiz aplicações e todo um protocolo para voltar ao ciclo natural de crescimento capilar. É uma fase delicada para a autoestima, me via com entradas na testa tamanha queda! Desta vez, já conversamos e alinhamos que, quando minha filha tiver 45 dias, irei numa consulta para começar tomar providências antes mesmo da queda vir com tudo.

Por fim, tenho tentado curtir ao máximo, da maneira que é possível, ficando em casa e exibindo a barriga só mesmo pelo Instagram – onde também compartilho bastante sobre minha rotina de beleza gestante… Me segue lá @luizamsouza!

{Fotos: reprodução Instagram @luizamsouza e @jadegadotti}

Love is in the air… ❤️ Você já deve ter visto pelo Instagram, Pinterest e TikTok algumas maquiagens artísticas cheias de coraçõezinhos. Esse estilo romântico, ultra afetuoso tem nome: lovecore. O rosa e o vermelho são as cores principais, bem numa vibe cartão de Valentine’s Day, mas o que não falta é criatividade para explorar cores, possibilidades e composições usando o coração como elemento principal.

O lovecore é mais uma das aesthetics que a geração Z tem criado para se expressar e sentir parte de um grupo (a gente fala mais sobre esse movimento aqui). Cabelo, acessórios, roupas e até a decoração de casa entram no embalo. Tudo isso com uma pegada bonequinha vintage bastante forte. O estilo surgiu no Tumblr há alguns anos e, agora, está por todo lado.

Há quem opte por um coraçãozinho delicado debaixo do olho e outras que vão além, tatuando provisoriamente todo o rosto com detalhes apaixonados. Tinta facial, sombra líquida, strass e batom entram com tudo na jogada para deixar essa maquiagem bem pigmentada e intensa como a paixão.

Dá para passar horas admirando como cada pessoa encontra um jeito muito próprio de entrar nessa onda. Tem a turma que encara o lovecore como estilo de vida e a das que gostam de explorar cada vez uma aesthetic quando se desafiam a criar um make artsy. Na galeria abaixo dá para ter um gostinho desse movimento, e fizemos também esse board no Pinterest para quem quiser navegar ainda mais por esse universo.

{Fotos: reprodução Instagram}

Sempre falei para a Camila Coutinho que ela é minha musa empreendedora do nosso universo blogueira-influencer. Somos amigas há muito tempo e ela sempre foi pioneira, encarando desde cedo como negócio o que começou (inclusive para mim) como um hobby apaixonado — lá se vão 14 anos —, e inspirando toda uma geração. Inclusive, história engraçada, quando ela já era super do business e eu ainda era bem resistente em trazer parcerias para o DDB, meu marido marcou um jantar com ela para fazer uma espécie de intervenção e pedir para ela me convencer de que era legal sim transformar esse hobby em trabalho remunerado. Agora, dona da sua própria marca de beleza, a GE Beauty, ela reafirma seu talento como empresária e mostra mais uma vez que seu segredo do sucesso é não ter medo de arriscar.

Eu e ela sempre trocamos confidências, refletimos juntas sobre as nossas escolhas, e damos pitaco na vida uma da outra. Mas é claro que fiz questão de chamá-la para estrelar o segundo post do DDBusiness, seção onde abordamos o mercado da beleza com um viés de negócios, e compartilhar com vocês algumas reflexões sobre esses seis primeiros meses como CEO de sua marca de cuidados com o cabelo. (O primeiro papo foi com Bruna Tavares sobre seu império da maquiagem, já clique aqui e separe para ler depois.)

Para quem não se lembra, nós fomos os primeiros a contar sobre esse lançamento, aqui. Mas vamos relembrar: a ideia de criar o GE Beauty veio para Cami após uma marca lançar um shampoo chamado Garota Estúpida, se apropriando sem autorização da força do nome do blog. Rapidamente, ela conseguiu tirar tudo de circulação por meios legais e também não demorou muito para perceber que aquele era um nicho interessante a ser explorado. “Em vez de ficar chateada, fui por outro caminho. Percebi que estava na hora de sair dos licenciamentos e royalties e investir em uma coisa minha”, conta ela, que optou por ser sua própria investidora.

“O mais difícil foi tomar essa decisão. Vou colocar meu dinheiro suado aqui, então tem que dar certo. Veio junto uma responsabilidade. Mas como sou tão movida pela paixão – e isso, com responsabilidade, é que faz as coisas darem certo –, acaba dissolvendo um pouco o peso da responsabilidade direta.” Assim, ela conseguiu driblar a ansiedade e ter clareza de que não queria outra pessoa interferindo nos negócios. Já a segunda dificuldade foi embarcar em uma área em que não tinha muita experiência de gestão. Apesar de contar com profissionais escolhidos a dedo para a equipe do GE Beauty, é Cami que orquestra tudo – e ela faz questão de acompanhar cada fase.

Para poder focar nessa nova empreitada, ela já havia planejado viajar menos em 2020. A pandemia acabou oficializando isso de uma forma inesperada, impedindo também os encontros com a equipe envolvida no projeto. Então esse segundo desafio ganhou um temperinho a mais: a gestão à distância, com cada um realizando seu trabalho na sua casa. “Isso atrapalha para criar aquela coisa do laço que eu tenho com as pessoas da minha equipe que eu já convivo há anos. É bem mais difícil”, desabafa.

No entanto, nada disso atrapalhou o sucesso da marca. Camila conseguiu dar conta de tudo acreditando na sua capacidade de se inovar. “É sempre essa paixão e essa coragem maior que o medo de tentar algo novo que caracterizam a cabeça do empreendedor”, avalia. “Meu tesão é por fazer coisas novas, diferentes… Enfim, deixar a minha marca ali naquele mercado. Em segundo, só depois, vem o dinheiro. Se não for um projeto que eu me sinto assim, nem saio de casa.”

Mesmo assim, volta e meia batia a síndrome do impostor. Pensamentos como “será que está indo realmente bem?” e “mas aquela outra pessoa está indo em outra velocidade…” a deixavam bastante ansiosa, porém ela conseguiu segurar a onda focando nos seus objetivos. Segundo Camila, se comparar ao outro não faz o menor sentido, porque cada um tem uma estratégia e o tempo de maturação das coisas vai depender do seu planejamento e de onde você quer chegar. Quem quer vender produto precisa ir para uma direção, quem quer vender a empresa precisa ir em outra, quem quer construir marca, em outra, e por aí vai. São muitas variáveis para se levar em consideração e conhecer bem o seu negócio e seus objetivos a longo prazo deixa todo o processo mais tranquilo.

E Camila não apenas investiu em uma linha de produtos para cabelos, como foi além e decidiu oferecer uma nova forma de cuidar dos fios. O GE Beauty não trabalha com soluções formatadas a fim de atender um padrão de beleza pré-estabelecido. Quem decide qual tratamento o cabelo precisa receber é a própria cliente – e essa decisão pode variar a cada lavagem. O conceito fundamental que rege a marca é a customização.

Para isso, a equipe e o time de desenvolvedores criaram um shampoo, um condicionador e um leave-in que performam bem em fios lisos, ondulados, cacheados e crespos. O cliente então decide como quer potencializar a ação dos produtos com quatro opções de boosters: hidratante, antioxidante, fortificante e de definição. Uma escova de cabelo e um kit com mixer e espátula completam a lista de artigos que levam o logo do GE Beauty. O slogan “No seu tempo, do seu jeito” é um lembrete para que cada pessoa adapte como bem entender esses itens à sua rotina.

Por ser uma proposta totalmente inovadora no mercado brasileiro, Camila teve a preocupação de educar os consumidores antes de vender seus produtos em marketplaces e lojas multimarcas. Por enquanto, a linha só pode ser comprada no e-commerce próprio e na loja conceito localizada em Recife, terra natal da empresária. “A gente está trazendo nossos próprios conceitos para o mercado, valorizando a beleza natural, criando rituais. Então estamos muito satisfeitos com onde chegamos em termos de venda e, principalmente, de conceito de marca e reconhecimento do mercado”, comemora.

Já a loja física era pra ser apenas uma pop-up, mas deu tão certo que decidiu torná-la fixa. “Todo mundo falava, você vai fazer uma loja só com oito produtos? Sim, vou. Porque é uma loja que você consegue entender o conceito da marca e isso foi uma experiência incrível”, compartilha. Foram tantos aprendizados que Camila sente que se passaram muito mais de seis meses desde que essa aventura começou. O momento agora é de analisar para onde expandir. E fiquem atentos: vem produtos novos em breve! Aliás, tem ainda mais revelações no vídeo acima, dê o play para assistir à conversa completa.

{Fotos: Divulgação GE Beauty e Instagram @camilacoutinho, @gebeauty e @vicceridono}

Amamos ver a interação de vocês nos comentários do Instagram @diadebeaute. O perfil está sempre recheado com inspirações de cabelo, maquiagem e nail art – e é maravilhoso acompanhar com vocês o aparecimento de novas tendências. A aba de Reels também está sempre atualizada com dica rápidas de beleza, vale super ficar de olho.

Shaggy hair, esmalte lilás pastel, olhos criativos e make de bonta foram alguns dos destaques de março. A dica éale salvar na pastinha de referências para checar sempre que precisar. Confira tudo na galeria abaixo.

{Fotos: reprodução Instagram @brunamarquezine, @avrnailswatches, @simonemendes.makeup / @wana_bq, @brigittecalegari, @zofsani, @zendaya, @jadepicon, @maralafontan, @chloegmoretz / @gregoryrussellhair / @storyofmailife / @nellkalonji e @claudiafernandes__hair / @cassiomviannaph / @victoriapacini}

A Unilever, fabricante de Dove e Seda, tomou uma decisão histórica: não irá mais usar a palavra “normal” em seus produtos e anúncios. A previsão é de que, no máximo em um ano, não encontremos mais os termos “cabelo normal” e “pele normal” nas embalagens. Essa ação faz parte do movimento global Beleza Positiva, saiba mais sobre ele aqui.

Em busca de ampliar ainda mais as possibilidades de venda das suas consultoras, a Mary Kay lançou recentemente a plataforma Suite 13. Ela funciona como uma butique virtual com 7 espaços interativos para que as consumidoras possam conhecer mais sobre a marca e experimentar seus produtos sem sair de casa. (Leia a notícia completa aqui)

Fãs da Fenty Beauty, podem comemorar! Ao que tudo indica, Rihanna irá ampliar o portfólio do seu empreendimento de beleza com produtos para cabelo. Foi feito o registro da marca “Fenty Hair” no início de março com autorização para vender tinturas, xampu para caspa, ferramentas de alisamento, glitter para os fios e muito mais. (Mais detalhes aqui)

Agora é possível refinar as buscas de beleza do Pinterest com base em uma gama de tons de pele. Assim, fica mais fácil buscar inspirações que combinem com você. A ideia é que a plataforma fique cada vez mais personalizada para que os usuários se identifiquem com as imagens que aparecem. (Saiba mais aqui)

E mais:
Cristais entram de vez na rotina e nos produtos de beleza – Belezinha (aqui)

Por que a cafeína está bombando nos cosméticos – Steal the Look (aqui)

MaquiaEFala como ferramenta de ativismo – ELLE Brasil (aqui)

{Fotos: Divulgação Mary Kay e Pinterest}

Em mais uma colaboração chiquérrima da jornalista de beleza Luiza Souza para o DDB, ela desvenda os benefícios do ritual de raspar a língua.

Os rituais de bem-estar invadiram nossa rotina – hoje esfoliar a pele a seco e fazer massagem facial com um rolinho de quartzo nos deixam tão animadas quanto quando éramos apresentadas a uma nova paleta de sombras num passado não tão longínquo. Pode ser o ritmo acelerado que a vida tomou com as redes sociais, o estresse que acomete uma boa parte da população mundial (segundo o The American Institute of Stress, 33% das pessoas relatam se sentir extremamente estressadas) ou até o surgimento do Goop, portal da musa holística Gwyneth Paltrow…. a questão é que praticar mindfulness, yoga, escrever morning pages e até fazer um ritual caprichado de skincare virou uma chavinha importante de que o autocuidado é necessário e urgente – e o mercado por trás disso só faz crescer. 

Bem, uma longa introdução para falar de um outro hábito, até que bem simples, que tem sua origem na Ayurveda, que incorporei e nunca mais larguei: raspar a língua pela manhã. Lembro que eu era pré-adolescente a primeira vez que vi um raspador de língua na farmácia. Mas, justamente, ele era uma ferramenta de farmácia, feito de plástico, algo que remetia a consultório odontológico e era esteticamente pouco atrativo. Quando há dois anos a Holistix, portal brasileiro que mistura experiências, conteúdo e venda de produtos holísticos e com pegada wellness, me enviou um raspador de língua de cobre (material naturalmente antibacteriano), achei o item lindo e a promessa tentadora… na hora me deu vontade de experimentar!

A função dele é realizar um detox natural e incrementar a higiene bucal. Segunda a Ayurveda, de onde este ritual nasceu, durante a noite o nosso corpo elimina toxinas que ficam paradas na língua, formando aquela película branca que todo mundo acorda com. A ideia é usar o raspador para retirar as bactérias dali e começar o dia com essa desintoxicação mecânica. Para dar certo, tem que ser uma das primeiras coisas a serem feitas no dia, antes mesmo de beber água ou escovar os dentes – isso porque ao ingerir algo antes da eliminação, estaríamos levando as toxinas para dentro novamente. 

Não vou negar que no começo o processo é meio incômodo, principalmente porque pode dar uma certa ânsia. Por isso, é indicado não raspar com força nem usar a ferramenta no fundo da língua, perto da garganta. “Comece raspando bem suavemente e da metade para fora da língua. Com a prática, a confiança surge intuitivamente sobre como fazer a raspagem no dia a dia”, ensina Lívia de Bueno, comunicadora e expert em autoconhecimento e espiritualidade, adepta da Ayurveda desde 2015. 

Lívia começou a estudar esta ciência milenar e, junto com a raspagem de língua, pratica o oil pulling – em português conhecido como bochecho com óleo -, outro hábito que vem da Índia e que deu bastante o que falar há alguns anos, quando o wellness engatinhava ainda lá fora. Trata-se de um bochecho longo, de pelo menos 15 minutos, feito com algum óleo vegetal, como óleo de coco ou de girassol. Assim como raspar a língua, o ato também promete retirar as toxinas que se alocam pela região da boca. “Em primeiro lugar sinto um alívio! É realmente maravilhoso perceber a língua sendo limpa. A higiene bucal fica muito mais eficiente”, relata Lívia, que antes de usar o raspador de cobre da marca costumava usar uma colher para fazer a raspagem. 

Segundo a Holistix, que vende raspadores feitos de 100% cobre (aqui) e uma versão de aço inoxidável aqui (aliás, a ferramenta foi o primeiro produto criado por eles), uma língua limpa ajuda também a sentir melhor o sabor dos alimentos e melhora a digestão – como sabemos, este processo começa pela boca. Estudos na área da odontologia demonstram que o raspador é mais eficaz que a escova para remover bactérias. 

Pessoalmente, me sinto mais limpa e pronta para começar o dia cuidando de mim raspando a língua e imaginando aquelas toxinas indo embora… se o ritual vier seguido de uma sessão de yoga, é certeza de uma manhã mais relaxada e good vibes… Experimente!

{Fotos: reprodução Instagram @holistix e @liviadebueno}

Maquiagem com cara de saúde nunca esteve tão em alta. Se antes a gente tinha o make de bonita, com olho esfumado marrom + uma cor de leve na boca, como default para dar uma realçada sem drama no rosto, a onda agora é apostar no ar de saúde, deixando a pele mais corada e com viço, as sobrancelhas realçadas e, para completar, o hit do momento: boca carninha.

Por “boca carninha” entenda lábios bem pigmentados, mas de maneira difusa, com aspecto de que foram pressionados por alguns minutos. Além de ser um ótimo equilíbrio entre saudável / chique / sexy, esse visual é super fácil de conquistar. Com um batom de tom entre marrom, vermelho e vinho, dê batidinhas nos lábios e esfume o contorno da boca usando os dedos ou um pincel de esfumar os olhos. Além da cor suave, os lábios ficam mais vistosos, aparentando ser mais carnudos – a maquiadora Nathalie Billio gravou um Reels pra gente ensinando a fazer, clica aqui para conferir.

A seguir, uma seleção de batons que são perfeitos para criar esse efeito. Os tons variam, afinal a cor dos nossos lábios também, sem falar no contraste com a pele. Uma dica para escolher o que mais harmoniza com você é pressionar o dedão contra o indicador para ver a cor que a ponta dele fica – vá na nuance que se aproximar disso. Lembrando que você provavelmente já tem em casa algum que funcione para dar esse efeito, vale fuçar as maquiagens antes de comprar um novo ;)

Batom carninha
. Rouge Allure Velvet Extrême 132 Endless – Chanel (aqui)
. Super Lustrous cor 049 Rise Up Rose – Revlon (aqui)
. Batom Labial Boys & Girls cor Gerard – Tom Ford (aqui)
. Batom Tolede – Nars (aqui)
. Batom Matte Revolution cor Walk of No Shame – Charlotte Tilbury (aqui)
. Batom Cremos Basic 01 – Vult (aqui)
. Dramatically Different Shaping cor 50 A Different Grape – Clinique (aqui)
. Batom Powder Kiss cor Stay Curious – MAC (aqui)
. Color Sensational Creamy Mattes cor 407 Não Vivo Sem – Maybelline (aqui)
. Batom Matte Ambitious Matte cor Rouge 964 – Dior (aqui)
. Batom CC Hidratante Una cor Violeta 2C – Natura (aqui)
. Batom Le Rouge Mat cor 204 Rose Boudoir – Givenchy (aqui)
. Batom Líquido Matte Red Rose cor Simone – Bruna Tavares (aqui)
. Batom Líquido Color Comfort Roselê – quem disse, berenice? (aqui)
. Batom Líquido Matte At Play – Mary Kay (aqui)
. Lápis de Contorno Labial cor Good Times – Mariana Saad by Océane (aqui)

{Fotos: reprodução Instagram @lsnunes, @maribruxa_ / make @makesbybrenda, @nathaliebillio, @victoriayamagata e @guapacita_}

Imagine que delícia poder se informar sobre o universo da beleza enquanto lava a louça, sai para caminhar, toma banho, faz faxina… Agora ficou fácil! O Bonita de Pele, um dos nossos canais de beleza favoritos na internet, acaba de lançar seu podcast. Os episódios saem toda terça-feira no Spotify, com a Jana Rosa e seu carisma imbatível entrevistando ícones desse mercado. No primeiro episódio, lançado hoje, temos a super Bruna Tavares falando sobre seu império da beleza.

“Ouvir ela falar é uma aula mesmo. Além disso, ela é canceriana e eu acho que dá sorte trazer cancerianas e taurinas para o Bonita de Pele (alô, Vic!), mas o que podemos esperar agora são muitas histórias de pessoas que criaram marcas, projetos e tendências de beleza”, adianta Jana. “Cada temporada vai ser focada em um tipo de história, e essa primeira são de pessoas que tiveram uma ideia e, de repente, tinham uma marca de sucesso.”

O projeto surgiu como um paliativo na pandemia para os órfãos do Boniflix, canal de entrevistas do Bonita no YouTube, mas Jana promete que vai seguir firme e forte mesmo quando os vídeos com convidadas puderem voltar a ser gravados segurança. Para ouvir o primeiro episódio, clique aqui.